Alimente sua alma. Inspire Sonhos!
Telefone
Resenha do livro Negra Nua Crua

Por Redação

Um manifesto poético.

Quando você abrir as primeiras páginas de Negra Nua Crua será completamente fisgado(a) ao ler o primeiro poema, de mesmo título do livro. Ao partir para o segundo, ao terminar de degustá-lo será tomado(a) por uma grande emoção e um mar de profundas reflexões — Menina Melanina.

Não poderia ser mais perfeito. Daí pra frente você não vai conseguir mais parar de ler.

Também consideramos a habilidade de Tássia Reis ao prefaciar o já lendário livro Negra Nua Crua. Ela encarou a missão com muita ‘responsa’, foi contundente nas palavras ao apresentar Mel Duarte e o livro, nos instigando ainda mais a mergulhar nos enredos poéticos trazidos pela autora.

Sem dúvida nenhuma, um livro que já tomou seu lugar no mundo. É sim, sem exagero, até para o espanhol já foi traduzido — “Negra Desnuda Cruda”. As fotos da capa e contracapa da versão espanhola foram feitas por Mariana Ser e Renata Armelin.

Negra Nua Crua também tem audiobook. Ao ler as poesias dá para perceber facilmente a cadência do bom e velho Rap. Essa com certeza é uma forte influência que embala os seus poemas.

Para comprar o livro na versão física é só clicar na imagem.

Negra Nua Crua, nas próprias palavras de Mel Duarte, em entrevista concedida ao portal Inspirando Sonhos, é dividido em três temas:

Negra… Traz poemas que contam mais da minha trajetória na sociedade, do que eu vejo como a mulher negra é tratada, das coisas que impulsionam enquanto ser uma mulher negra de palavra e da periferia.

Nua… São mais poesias eróticas, sensuais, sobre relacionamentos, coisas mais sensíveis.

Crua… Traz vários tipos de questionamentos, poesias que tratam de questões espirituais, políticas e sociais. Nessa parte eu coloquei tudo para fora de uma forma até mais dura.

E realmente ela foi certeira na explicação de como você vai discorrer pelas páginas de Negra Nua Crua. Ao mesmo tempo que o livro traz essa divisão conceitual de uma maneira muito bem organizada, você poderá perceber que as poesias dialogam entre si, não apenas por serem semelhantes em suas estruturações, mas porque Mel Duarte é uma escritora de diálogo. Isso é esplêndido.

Não é tão simples este exercício de aproximação, de trazer seriedade às questões sociais, mesmo as que parecem cotidianas.

Ela se preocupa em conversar com quem lê e trabalha com afinco para que sua poesia fale com todos. Você pode conferir em seu canal no YouTube ou acompanhá-la presencialmente recitando nos saraus em várias regiões do Brasil. Confira suas postagens no Instagram.

É algo simples de perceber e ao mesmo tempo mágico. A força da poesia não está apenas no modo como ela é escrita ou lida, mas como ela é entoada e ouvida. Disso a Mel manja.

Foto de destaque: Reprodução/Facebook

1 Comentário

  • José Pedro Posted 25 de abril de 2019 12:28

    Ela é muito criativa. É uma artista e tanto. E ainda dizem que não tem boa arte no Brasil. Viva a poesia!!!!!!!

Adicionar Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados *