Alimente sua alma. Inspire Sonhos!
Telefone
5 álbuns de post-rock para estudar

Muitas pessoas gostam de estudar ouvindo uma boa música.

Nem sempre conseguimos nos concentrar nos estudos se ficamos curiosos com a música que estamos ouvindo. É bem comum pararmos para pesquisar sobre o que estamos ouvindo, nem que seja para seguir a banda no Instagram, salvar o site nos Favoritos para dar uma olhada depois, ou buscar no Google o significado do nome de uma música. Afinal, nem todos sabem que “Ágætis Byrjun” significa “Início Decente”.

Muitos estilos musicais combinam com estudo e isso pode variar de acordo com o gosto de cada um. Há quem prefira música clássica, instrumental, jazz, lo-fi ou post-rock.

Para este texto, vamos nos ater apenas ao gênero post-rock ou pós-rock.

De acordo com Simon Reynolds, o conceito de post-rock descreve um estilo musical que usa instrumentos de rock para fins não-rock, com guitarras que transmitem tons e texturas, em vez de riffs e power chords. “O ‘post’ significa uma ruptura com os traços formais e as premissas ideológicas do rock’n’roll”.

Provavelmente você já deve ter ouvido algum som no estilo post-rock. Se ainda não ouviu, continue lendo esse texto que logo abaixo listaremos 5 álbuns deste gênero.

A escolha não foi fácil e nem se trata de um ranking:

1 – Your Own Story by Distant Dream

Your Own Story é um álbum lançado pelo guitarrista Marcin Majrowski.

“Um belo álbum que explora de maneira vívida e brilhante a natureza expansiva e as melodias coloridas geralmente associadas ao rock progressivo. As harmonias serenas e as paisagens sonoras expansivas do universo criativo do artista revelam que o álbum é uma jornada interessante, diluída por um espaço de elegante beleza sonora e eloquente, onde tudo o que é filtrado pela sensibilidade das percepções cria um diagrama hermético de moderação pessoal e pungente.” (Wagner)

2 – Rivers and Shores by Black Hill & heklAa

Rivers and Shores é um álbum de Black Hill em parceria com o projeto francês heklAa.

O álbum combina muito bem os dois elementos musicais – a guitarra de Black Hill e o piano de heklAa, “criando uma atmosfera de tranquilidade, uma sala cheia de emoções, definitivamente um álbum que você deve ouvir (…). Esses caras sabem como transportar você de um lugar para outro, simplesmente ouvindo do começo ao fim deste disco.” (Sergio V.)

3 – We Are Trees by The Last Sighs of the Wind

The Last Sighs of the Wind. Nome longo, mas bastante imaginativo, potente e intrigante. Se o nome deles não fizer você refletir sobre como eles soam, então talvez a arte da capa seja simples, mas impressionante. Mesmo que isso não te atraia, você ainda precisa ouvir o que essa banda criou pela primeira vez em um álbum completo.

We Are Trees não é menos que uma emocionante obra-prima do instrumentalismo, quase impecável em todos os sentidos! Cada puxão da corda, cada batida, e todos os ritmos transmitem tanta emoção sem sequer uma voz para se unir. Apenas atrai você ainda mais para o mundo que esses amigos da Bielorrússia criam, para fazer de We Are Trees um álbum que é tão emocionante quanto provocador.

The Last Sighs of the Wind mostra facilmente que eles têm um talento incrível para realmente fazer deste disco algo que nada mais é do que varrer todo mundo que o ouve! (…) Muitos pensariam que um álbum envolto em um tema ambiental ficaria um pouco obsoleto, mas The Last Sighs of the Wind o tira com a maior majestade. We Are Trees é um complexo inacreditavelmente em camadas.” (Head Banger)

4 – Valtari by Sigur Rós

“Valtari é música do universo, o tipo de coisa para encher uma catedral, ou talvez um vale. O primeiro vídeo de “Ekki Múkk” combina com a qualidade efêmera da música: um navio solitário navega pela tela, todo em tons de sépia e granulado, enquanto uma progressão harmônica devastadoramente lenta e minimalista preenche os vastos espaços da pista. “Ég Anda” abre o álbum com quase dois minutos de canto sem palavras, até o barulho de uma guitarra nos levar de volta à realidade da banda de rock.

A eletrônica permeia Valtari e é difícil dizer o que é artificial e o que é orgânico, o que é elétrico e o que é acústico (…).

É uma balada em um álbum de músicas lentas, suaves e delicadas.” (Jake Cohen)

5 – Stormvalley by Silent Island

“Um álbum que você não pode ignorar como amigo do post-rock e pode ser encontrado em muitas listas de reprodução. Silent Island atingiu o nervo musical de muitos milhares de fãs, o que não foi iniciado com o álbum de estreia. (…) Os leitores certamente conhecerão as mentes criativas por trás de Silent Island. É István Csarnogurszky, que também encontra sua casa musical em Black Hill, musicformessier e Realm of Wolves. Juntamente com Gábor Károlyi e agora Mike Vecchione, que gravou os loops de bateria, Silent Island é uma colaboração criativa dos músicos. Acrescente a isso uma obra de arte de tirar o fôlego do artista Norbert Papp, da qual você realmente não vai conseguir se cansar.” (André Schönauer)

Não se esqueça de comentar se você gosta de estudar ouvindo música e que álbum curte ouvir para se concentrar. Estas recomendações podem até inspirar novos textos por aqui.

Texto elaborado por Redação.

Imagem de destaque: Aaron Burden

Adicionar Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados *