Alimente sua alma. Inspire Sonhos!
Telefone + 55 (11) 96425-5122
Fountains of Blood de Eric Taylor Escudero é revisitada por Harry Medium

Lancei meu álbum de estreia no final de 2015. Uma coleção de canções que falam sobre a vida em São Paulo e as inevitáveis mudanças em diferentes aspectos da vida, We Were Young and It Was Morning foi bem recebido pela mídia no exterior, e fui selecionado artista da semana pelo site americano “The Vinyl District”. Comemorando dois anos do lançamento deste trabalho, convidei amigos de diferentes partes do mundo para gravarem suas próprias versões das canções do álbum. Fountains of Blood é a segunda canção lançada desse projeto, chamado We Were Young and It Was Morning – Revisited.

Segue abaixo a tradução que fiz do texto de Harry Medium, talentoso compositor inglês que tive o prazer de conhecer em Inverness, no interior da Escócia, no início deste ano de 2017. Harry gravou uma versão incrível da minha canção Fountains Of Blood.

Fountains of Blood by Harry Medium (Traduzido na íntegra por Eric Taylor Escudero)

Harry Medium

Conheci o jovem Eric Taylor nas Highlands da Escócia em fevereiro de 2017. Ele estava preocupado com as vacas na neve. Eu o assegurei que o gado das Highlands foi criado para suportar o clima e não estavam sob perigo imediato. Ele nunca tinha visto a neve. Nós conversamos sobre a diferença entre diferentes termos da língua inglesa e do gaélico, como “mhor” e “moor”; o início de uma bela amizade foi selada. Ao nos despedirmos com um (másculo) abraço, Eric me entregou uma cópia de seu álbum We Were Young and It Was Morning.

Arquivo de Eric Taylor Escudero

Escutei o álbum no meu Discman da Sony no trem voltando de Inverness. Fountains of Blood se destacou para mim. Fiquei imediatamente impressionado pelo andamento, pela evocativa mistura de sons, pelos arranjos vocais, a estrutura e as linhas que os diversos instrumentos de cordas tocavam… Mas também, de alguma forma, as palavras… Elas eram sobre mim.

Toquei essa música repetidamente por dois dias ou mais e aprendi a tocá-la (não muito bem) no violão durante as semanas que se seguiram, nas quais eu sentia falta dos meus amigos e tinha dificuldades em compor algo novo. Aos poucos aquele sentimento desapareceu e passei a tocar a canção com meu próprio estilo e a execução melhorou o bastante para tentar gravar algumas versões, entretanto, elas simplesmente não faziam jus à canção. Eu não podia aceitar isso. Então, trabalhando com a teoria de que você não pode estragar uma canção verdadeiramente boa, eu decidi colocar um pouco de “Medium” nela, dobrando o tempo e tentando fazer um arranjo mais “Punk Pop”; o que acabou acontecendo foi que sem perceber diminuí o andamento da música e segui um estilo meio John Carpenter misturado com shoegaze. Isso eu podia aceitar.

(Harry Medium, Dezembro de 2017).

Contemple Inverness
Arquivo de Eric Taylor Escudero

Aqui, então, está Fountains of Blood (versão Medium) – eu espero que não tenha estragado a música.

Como canto em Fountains of Blood: “Nós todos vivemos no passado”.

Ouça e baixe a nova versão de Fountains of Blood:

Versão original:

1 Comentário

  • Marco Minoru Posted 15 de dezembro de 2017 18:43

    Ficou muito boa essa versão! Super diferente mantendo a essência da música!

Adicionar Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados *