Alimente sua alma. Inspire Sonhos!
Telefone + 55 (11) 96425-5122
Da esquerda para a direita, Pedro Henrique, Stephane Santos, Rubia Muniz, Mariana Zanholo e Giovanna Miranda | crédito: Larissa Andrade

Da esquerda para a direita, Pedro Henrique, Stephane Santos, Rubia Muniz, Mariana Zanholo e Giovanna Miranda | crédito: Larissa Andrade

Cinco alunos estão prestes a embarcar à Inglaterra, para apresentar o We-Sci, uma espécie de “rede social da ciência

Provavelmente quem mora em Pirituba, zona noroeste da capital paulista, já deve ter ouvido falar na Etec Profª Dra. Doroti Quiomi Kanashiro Toyohara, mais conhecida como Etec Pirituba, pelas participações de estudantes da instituição em competições internacionais.

Não diferente desta vez, cinco alunos estão prestes a embarcar para Londres, na Inglaterra, para apresentar o We-Sci, um app que disponibiliza entrevistas com estudantes estrangeiros e promove interações entre amantes da ciência por meio de um chat que possui um tradutor universal.

Os criadores do aplicativo são os estudantes secundaristas da Etec Pirituba: Giovanna Miranda, 16, Mariana Zanholo, 17, Pedro Henrique, 17, Rubia Muniz, 16, e Stephane Santos, 17.

Os jovens apresentarão a o app no fórum LIYSF (London International Youth Science Forum), que acontece entre 27 de julho e 10 de agosto, e é sediado no Imperial College, uma das mais renomadas universidades internacionais.

Por dentro do We-Sci

De acordo com os estudantes, o We-Sci foi criado com a proposta de garantir oportunidades de disseminar conhecimentos entre estudantes de todas as partes do mundo que sejam apaixonados pela ciência, além de oferecer direcionamentos para estudos, a partir de experiências internacionais compartilhadas por meio de entrevistas.

“O We-Sci proporciona, por exemplo, acesso a datas de competições internacionais e exames, além de dar acesso a fontes confiáveis de pesquisa, como livros didáticos, experimentos e portais com artigos científicos”, afirma Rubia Muniz.

“Após o contato com estudantes de outros países, percebemos as diferenças que existem no ensino científico ao redor do mundo. A partir disso, começamos a nos questionar sobre uma ferramenta capaz de conectar os conhecimentos de jovens estudantes”, completa Mariana Zanholo.

Segundo os jovens, o app está em fase de finalização. “A maior parte já foi programada. Restam apenas serem adicionadas algumas informações nas áreas referenciais e entrevistas”, afirma Giovanna Miranda.

A expectativa é que o aplicativo esteja disponível para o sistema operacional Android, após a participação dos estudantes no fórum londrino.

Confira mais sobre o app no vídeo abaixo:

Quanta ciência

Este não é o primeiro evento científico internacional pelo quais os estudantes passam. Em novembro de 2015 a mesma equipe participou da 21° edição da QUANTA, uma competição científica que aconteceu na Índia.

Para Eliane Leite, diretora da Etec Pirituba, esses encontros e experiências com o universo científico são fundamentais para a formação dos estudantes.

“Esses eventos abrem os horizontes desses jovens, principalmente os de escola pública. Eles inspiram outros estudantes e todos em sua volta”, declara.

Vaquinha

Para seguir o rumo de Londres, no entanto, os alunos precisam arrecadar o valor de R$ 84.750 reais, necessários para custear as taxas referentes à participação no fórum, transporte aéreo, hospedagem e taxas da plataforma Catarse, na qual está inscrito o projeto.

Os interessados podem contribuir por meio do catarse.me/wesci, ou entrando em contato com a direção da Etec Doroti, através do site etecpirituba.com.br.

Por Lucas Dantas, 17, e Pedro Henrique Carvalho, 17, ambos estudantes do 3º ano da Etec Profª Dra. Doroti Quiomi Kanashiro Toyohara

Adicionar Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados *