Alimente sua alma. Inspire Sonhos!
Telefone
Angola ganha compêndio de mais de 1.700 autores, desde século XVII

Editado pela Perfil Criativo – Edições (www.AUTORES.club), o livro “Autores e Escritores de Angola (1642-2015)”, de Tomás Lima Coelho, cataloga cerca de 1.780 autores e escritores e mais de cinco mil obras. Foi apresentado em Luanda, no dia 3 de Março, na sede da União dos Escritores Angolanos (UEA). Na mesa de honra, Álvaro Macieira e Cremilda Lima em representação da UEA; Ricardo Rodrigues, representante da editora Perfil Criativo e do autor que, por motivos pessoais e de agenda, não pôde estar presente no lançamento; e Armindo Laureano, representante da Vivências Press.

Para Álvaro Macieira, o lançamento do livro em Luanda representou “um momento ímpar, que muito honra e prestigia a nossa instituição. Agradecemos ao autor, à sua editora pelo empenho e dedicação nesta tão profícua obra. Um trabalho que certamente servirá para engrandecer a nossa literatura. Fica aqui o incentivo e apoio da UEA para que o projecto continue”.

Vivência Press News

Foto: Vivências Press News

“É uma honra estar aqui na apresentação desta tão importante obra. É importante que se estimulemos e apoiem trabalhos do género. Um trabalho de pesquisa e investigação que percorre quase 400 anos. Este será certamente um manual de grande utilidade para as várias áreas do saber. (…) Angola agradece”, afirmou Cremilda Lima durante a apresentação do livro.

Para Ricardo Rodrigues, da editora Perfil Criativo, “este livro já é de consulta indispensável na área de cultura e literatura angolana. É, sem dúvida, pela sua evidente utilidade, um manual de consulta obrigatória. É um trabalho que se revela indispensável para poetas, escritores e autores angolanos. Quero agradecer ao autor pelo exercício meticuloso que há anos vem construindo e que agora chega ao mercado angolano”.

Armindo Laureano, que tinha assumido a responsabilidade de divulgar e levar a cabo a apresentação da obra em Luanda, referiu: “É como que um regresso às origens. É o bom filho que à casa torna. Este lançamento, hoje, para Angola e para os angolanos será, certamente, um dos pontos mais altos deste trabalho que o autor tem vindo a desenvolver há cerca de dez anos. Por outro lado, é bom ver que a nobre e bela arte da escrita ainda pode juntar muitas e boas pessoas. É bom saber que o livro continua vivo, continua a inspirar as pessoas. Continua a congregar muitas e boas pessoas. Quero agradecer ao autor e à sua editora pelo convite e por terem confiado, por terem acreditado em mim em determinadas fases e processos deste trabalho, sendo a apresentação deste livro em Luanda a maior destas fases. Palavra dada, palavra honrada. Aqui estamos”, disse o jornalista e autor.

Agnela Barros, em representação da TAAG, uma das instituições patrocinadoras da obra e responsável pelo transporte dos livros para Luanda, destacou a responsabilidade social da empresa e a visão que a mesma tem no apoio a projectos com reconhecido mérito e valor cultural. Reafirmou ainda a disponibilidade em reforçar a parceria com o projecto, pela qualidade, importância e dimensões culturais, pedagógicas, intelectuais, académicas e sociais.

Tomás Lima Coelho nasceu em Moçâmedes (capital da província do Namibe), em 05 de outubro de 1955. É o mais velho de cinco irmãos, todos nascidos em Angola, bem como os seus pais. Por força da itinerância obrigatória de um pai funcionário público, viveu em Lândana, Caconda, Caála, Camacupa, Cuito, Malanje e Luanda. Reside em Portugal desde 1975 e na última década tem se dedicado à investigação de obras de literatura angolana.

Fonte: Vivências Press News

Confira na íntegra a mensagem que o autor do livro enviou ao público que participou do lançamento dessa obra em Luanda que, com toda certeza, ficará marcada na história da literatura angolana, servindo de contribuição imensurável ao mundo. Para a equipe editorial do portal Inspirando Sonhos é uma honra compartilhar esse conteúdo.

Tomás Lima Coelho Foto: Ana Brígida

Tomás Lima Coelho (Foto: Ana Brígida)

Meus irmãos angolanos, eu vos saúdo!

Ao fim de muitas atribulações um sonho meu tornou-se agora realidade: o meu trabalho sobre os autores e escritores da nossa terra-mãe está finalmente onde sonhei que um dia estaria, em Angola.

Ele é o meu modesto contributo para a Cultura e para a Literatura feita por angolanos, um percurso de pesquisa solitária, paciente, árdua e longa de dez anos, muitas vezes remando contra marés contrárias, tanto ontem como hoje. Mas continuei e continuo lutando, teimosamente, porque também nunca me faltaram os amigos com o amparo emocional e o incentivo para que não desistisse. Bem hajam!

Contudo deixo um apelo: que haja alguém, individual ou colectivamente, que continue esta tarefa porque, devo confessar, estou esgotado, e seria uma pena que ela ficasse por aqui…

Nesta pesquisa procuro dar a conhecer todos os que, sendo nascidos em Angola ou naturalizados, publicaram livros desde o século dezassete ao século vinte e um, sem juízos de valor nem discriminações de qualquer espécie, sejam rácicas, religiosas ou políticas.

O meu objectivo, talvez ambicioso, é que este trabalho tenha o significado de um traço de união entre todos os angolanos, estejam eles no país ou nas múltiplas diásporas.

Sobre este livro vos digo que foi construído com a maior boa-fé mas que, apesar disso, poderá conter algumas lacunas e até erros, para os quais peço a vossa compreensão e colaboração na sua rectificação, até porque estará na forja uma segunda edição corrigida e aumentada que queremos todos esteja o mais perfeita e completa possível. Sobre as lacunas e erros quero apenas referir a frase que alguém um dia bem ajuizou: só não erra quem não trabalha.

Não posso deixar de agradecer a todos os que me ajudaram ao longo do tempo, a todos os que, num simples gesto, me foram fornecendo elementos como datas e locais de nascimento, fotografias e contactos, sem pedir nada em troca, numa demonstração de genuina solidariedade e colaboração.

Não vou mencionar nomes, mas para todos os que generosamente me ajudaram, e que não sendo muitos sabem quem são, para eles vai o meu abraço de profundo agradecimento.

Igualmente um agradecimento ao João Ricardo e à sua editora Perfil Criativo, que acreditou em mim e que valorizou o meu trabalho quando já quase tinha perdido a esperança de o ver publicado em papel.

Um agradecimento também ao Armindo Laureano, pelo trabalho que tem feito pela divulgação deste livro e do meu trabalho, que já não é só meu, é também vosso a partir deste momento.

Por último agradecer à UEA por ter aberto as portas a este evento, um gesto que faz todo o sentido.

Cabe agora a todos vós ajuizar do meu labor, não podendo deixar de sublinhar, e digo-o com muito orgulho, que é Angola o primeiro país dos PALOP a possuir um acervo desta natureza!

Muito obrigado pela vossa presença.

Estamos Juntos!

Tomás Lima Coelho

Adicionar Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados *